segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

MENSAGEM DE ANO NOVO



Encontrei esta mensagem de ano novo e acho que ela sintetiza tudo o que gostaria de aqui vos desejar e as palavras de reflexão que gostaria de vos deixar...
Tenham um bom 2008, cheio de desafios, de momentos felizes, de partilha, de cumplicidades, de coisas para contar e rir mais tarde.
Que 2008 seja a esperança para os nossos dias cinzentos... que traga a paz, a tranquilidade, o emprego, a segurança e a utopia, para continuar acreditando que é possível ser feliz aqui!!!

«Aprendemos que, por pior que seja um problema ou situação,sempre existe uma saída. Aprendemos que é bobagem fugir das dificuldades.
Mais cedo ou mais tarde, será preciso tirar as pedras do caminho para conseguir avançar.
Aprendemos que perdemos tempo nos preocupando com fatos que muitas vezes só existem na nossa mente.
Aprendemos que é necessário um dia de chuva para darmos valor ao Sol, mas se ficarmos expostos muito tempo, o Sol queima.
Aprendemos que heróis não são aqueles que realizam obras notáveis, mas os que fizeram o que foi necessário e assumiram as conseqüências dos seus actos.
Aprendemos que, não importa em quantos pedaços nosso coração está partido, o mundo não pára para que nós o consertemos.
Aprendemos que, ao invés de ficar esperando alguém nos trazer flores, é melhor plantar um jardim.
Aprendemos que amar não significa transferir aos outros a responsabilidade de nos fazer felizes. Cabe a nós a tarefa de apostar nos nossos talentos e realizar os nossos sonhos.
Aprendemos que o que faz diferença não é o que temos na vida, mas QUEM nós temos. E que boa família são os amigos que escolhemos.
Aprendemos que as pessoas mais queridas podem às vezes nos ferir. E talvez não nos amem tanto quanto nós gostaríamos, o que não significa que não amem muito, talvez seja o máximo que conseguem. Isso é o mais importante.
Aprendemos que toda mudança inicia um ciclo de construção, se você não esquecer de deixar a porta aberta.
Aprendemos que o tempo é precioso e não volta atrás. Por isso, não vale a pena resgatar o passado. O que vale a pena é construir o futuro. O nosso futuro ainda está por vir.
Então aprendemos que devemos descruzar os braços e vencer o medo de partir em busca dos nossos sonhos.»



Autor desconhecido
Fonte Mensagens e Poemas

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Até Sempre!


Este Natal foi um pouco diferente dos anteriores. Estas coisas não acontecem quando se pede, ou porque calha melhor na agenda no dia tal… são fatais, acontecem e pronto.
Logo depois do almoço, quando o estômago estava já reconfortado e a gula aumentava à medida que as sobremesas se aproximavam, o telefone tocou. Pensei que fosse mais alguém a desejar as boas festas, mas não, do outro lado uma notícia triste destruía o nosso almoço e a tranquilidade do dia.
A minha tia Ivone morrera nessa manhã. Precisamente um dia antes de completar um ano do AVC que a colocou numa situação praticamente incomunicável, vivendo numa espécie de limbo do qual nunca regressou. Naquele momento, tudo acabara, uma vida de luta e de trabalho nos campos do Alentejo, de suor sofrido, de força viva que lhe emanava nas veias…uma mulher de armas cedendo ao mais cruel dos rituais de passagem que todos nós um dia atravessaremos.
Compreendi que naquele estado, talvez a morte tivesse sido a melhor solução, mas é sempre com pena que vemos um ente querido partir e a família a diminuir. Ainda há tão poucos anos, ela enterrara o filho, vítima também de um acidente cardio-vascular e agora era a vez dela...
Nunca a esqueceremos, a sua fala cantada, o sorriso aberto com que nos recebia, as histórias de medo e terror que nos contava, sobre fantasmas nas planícies alentejanas… de tudo isso iremos sentir falta tia…
Não há dúvidas que esta vida é uma passagem… cada vez mais rápida e efémera, só quem nos marca sobrevive em nós!
Até sempre tia Ivone!

domingo, 23 de dezembro de 2007

Feliz Natal


Neste natal deixo um grande abraço e um enorme beijinho a todos os meus amigos que costumam visitar com regularidade o «Anthropos». Que a solidariedade tão apregoada nesta época seja um mote de vida em todas as ocasiões, em todos os momentos... Esta época, para muitos ritual pagão de festas e presentes, para outros com um siginificado mais religioso, é apenas uma época de passagem, mas as acções que podemos praticar, essas não têm uma quadra específica, partem da nossa solidariedade, da nossa consciência e do nosso coração. Talvez por isso, por vezes já me falte paciência para esse Natal comercial tão apregoado... por essa azáfama nos centros comerciais em busca de prendas, das filas das caixas... se isso é Natal, estou cada vez mais farta...
Desculpem-me o pessimismo, mas cada vez mais acho que o Natal devia ser a mensagem de paz e de confiança num Mundo melhor...
Deixo-vos com este meu poema, que traduz de certa forma o Natal que eu gostava de ter sempre...

FELIZ NATAL A TODOS!!!!!

«Neste Natal»

Todos os Natais,
Há palavras a mais,
Palavras que se repetem
E que levados pelos vendavais
Depressa se esquecem.
Palavras que se gastam pela força da tradição,
Onde o amor e a compreensão,
Só servem como pregão.
Neste natal,
Entremos nele,
Com o coração mais aberto,
Mais cheio de alegria,
E alimentemos a esperança,
Que tudo será novo nesse dia.
Não façamos com que o Natal
Seja apenas a busca da prenda certa,
Preparemo-nos sim,
Para comemorar uma grande festa,
Onde a paz e a fraternidade
Substituam os sentimentos de
Mágoa, tristeza e rivalidade.

domingo, 16 de dezembro de 2007

A primeira festa do Saltibanco nos Combatentes

Teve lugar no dia 16 de Dezembro na Colectividade dos «Combatentes», na freguesia dos Prazeres, a primeira festa do projecto «Saltimbanco». Quem já ouviu falar dele, sabe que este projecto é uma ideia da minha irmã Catarina e que pretende ser uma resposta a algumas solicitações no âmbito da animação infantil, de festas, de eventos, oferecendo uma mão cheia de serviços, quer para míudos como para graúdos. Ainda está a dar os primeiros passos, por isso toca a requisitar actividades ao Satimbanco, a mana orgulha-se do seu trabalho!

Quem quiser dar um olhinho o site é:

http://www.osaltimbanco.org/

Ficam as fotos da festa de Natal para recordar....






Aproveitem para ver outras fotos neste site:

http://miglsd.webng.com/osaltimbanco/combatentes/

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Felicidade...


Ontem recebi um e-mail de uma amiga minha que uma notícia publicada num jornal diário. A felicidade mais uma vez em foco... a felicidade que nunca é plena, sabe sempre a pouco e andamos sempre em busca de a alcançar... Mas, o que nos faz felizes? A notícia dá conta que a verdadeira felicidade está nos pequenos deleites, nos pequenos prazeres e não nos grandes feitos, nos grandes luxos, no dinheiro e no consumo... é certo que um euromilhões dava jeito para podermos fazer coisas que nos proporcionem bem-estar e fazer bem aos outros também... mas a verdade é que o dinheiro nem sempre traz felicidades, sendo por vezes portadora de infortúnio e de solidão... Confiemos pois, que para ser feliz, basta apenas ter capacidade para aceitar os pequenos nadas da vida, com intensidade e dedicação e viver um dia de cada vez, com leveza no coração...


«A felicidade já não é o que era. Se pensa ainda que para ser feliz precisa de carros, viagens e roupa de luxo, desengane-se. Segundo um estudo realizado para a Lotaria Nacional britânica por psicólogos da Universidade de Nottingham, o que nos torna mais felizes são os pequeninos prazeres da vida que não custam nada ou quase: uma barra de chocolate, um longo banho quente, uma sesta a meio da tarde, um passeio no parque.Os cientistas, liderados por Richard Tunney, compararam os níveis de felicidade de ganhadores de jackpots com um grupo de pessoas da população em geral. E o facto é que todos, premiados ou não, acharam mais gratificantes as oportunidades de descontrair do que actividades mais caras como comprar sapatos, CD ou telemóveis. Na realidade, são as pessoas menos felizes que mais consomem. Se queremos mesmo ter um cheirinho do que é ser feliz, a partir de agora o melhor que temos a fazer é comprar uma boa garrafa de vinho e comida já feita - e ficar em casa a ouvir música e ler um livro.»

sábado, 8 de dezembro de 2007

Solidariedade com as crianças do IPO


Olá! Hoje deixo ficar aqui um apelo que recebi por e-mail, para as crianças do IPO. Geralmente, não me agradam aquelas boas acções que se praticam apenas no Natal, que aliviam a consciência por uns breves momentos e muitas vezes são um pouco hipócritas...Eu gosto de poder ajudar todo o ano, conforme as minhas possibilidades... Mas, pronto, acho que pelas crianças vale a pena se podermos contribuir, por isso passo a transcrever o apelo que recebi:

«O que se pede é muito simples...! São necessários (principalmente) pijamas para as crianças que estão no IPO a fazer tratamentos de quimioterapia... Após os tratamentos, os pijamas ficam muito sujos e gastam-se muito rapidamente....Só por curiosidade, no ano passado foram entregues 76 pijamas... e o IPO ficou muito satisfeito com esta dádiva.... este ano vamos repetir a façanha e se possível ultrapassar este número.....
Esta ideia surgiu há dois anos e hoje já me atrevo a apelidá-la de "Movimento Pijaminha" pelo sucesso que têm tido os esforços conseguidos! :)
Pela 3ª vez consecutiva, venho apelar à vossa boa-vontade e pedir-vos que se juntem a mim no esforço de tornar o Natal de algumas crianças mais quentinho.
As necessidades existentes passam pela falta de pijamas, pantufas, chinelos, meias, robes e fatos de treino.

Aqui fica um contacto: carla.fiscogal@netcabo.pt
Se divulgarem já estão a ajudar!!!»

domingo, 2 de dezembro de 2007

Domingo de manhã em Lisboa...

Domingo de manhã na minha cidade! Uma manhã especialmente clara e irradiante. O frio avança lá fora da vidraça, mas a vontade de saltar da cama e caminhar pelas ruas desertas é mais forte. Apetece-me aproveitar para dar um passeio por Lisboa, com o pretexto de ir ao Cais do Sodré comprar o passe que me esqueci de comprar antes do fim do mês... e por que não ir a pé...? e por que não levar comigo a máquina fotográfica e captar este e aquele momento, levando em atenção sempre os conselhos da mana, entendida nestas artes.
Caminhamos com passos pausados e o olhar inquiridor por tudo o que vemos... Decidimos que a meta era o Cais do Sodré, mas o que faríamos era «go with the flow», sem planos nem rotas pré-estabelecidas. No caminho decidimos visitar o Museu de História Natural, que fica com certeza a anos luz de todos os museus desta área das grandes capitais europeias e norte-americanas. Soube-me muito a pouco, até porque as condições das instalações deixam muito a desejar, com paredes cobertas de cimento, com tectos a verem-se os tijolos... enfim uma história natural à «portuguesa». Apesar disso, gostei de conhecer mais esta realidade museológica do país, o qual ainda há uns meses recebeu um e-mail meu, denunciando o facto de não se encontrar aberto aos fins de semana. Parece que essa realidade mudou, o que muito me agradou!

O caminho continuou devagar, sem pressas num domingo de manhã bastante saboroso...percorrendo o Princípe Real, a Misericórdia, o Camões e finalmente o Cais do Sodré!



Jardim Amoreiras


Rua da Escola Politécnica


Museu de História Natural

Museu de História Natural
Laboratório Químico - Museu de História Natural


Anfiteatro do Museu de História Natural


Largo da Misericórida - escultura dedicada ao cauteleiro
Estátua dedicada a Eça de Queirós

moi...