segunda-feira, 2 de junho de 2008

Consulta de senologia no Hospital dos Capuchos

Hoje foi o dia da consulta anual de Senologia noo Hospital dos Capuchos. Há cerca de dois anos que tenho de a fazer de forma continuada, em face dos nódulos que possuo. Já tinha feito os exames e não havia motivo para estar preocupada. Mas, para mim não é nada fácil ir aquele hospital, principalmente quando se tem mais duas pessoas da família a irem lá regularmente fazerem consultas, exames e até operações.
Fiquei contente quando vi que a minha mãe fez a surpresa de lá aparecer. Eu sabia que estaria tudo bem, mas há sempre um nervoso miúdinho. Pouco antes de entrar dentro do consultório, uma outra senhora entrara. Uma mulher de uns sessenta e tal anos, presumo. Eu que até aí estava descontraída, não consegui manter a mesma calma depois dela entrar, pois logo a seguir o médico viera cá fora à procura do marido dela, que entretanto se ausentara...Antes da porta se fechar, só ouvi o médico dizer para a senhora « e a quimioterapia? resultados zero?». Aquela frase percorreu o meu corpo de cima a baixo e o meu coração bateu mais forte... «quimioterapia!...». O destino daquela senhora era o mesmo de tantas milhares de mulheres que todos os dias enfrentam o mesmo difícil martírio o de combater um cancro de mama! Colei os olhos no livro que levara para me acompanhar na espera, mas o meu pensamento não saía da espiral que há pouco tinha iniciado.
Pouco tempo depois, o médico chamou-me e toda eu tremia por dentro... O marido da outra senhora chegou e ele teve a oportunidade de lhe explicar a situação em privado. Quando chegou para me atender, sem nada falar, a expressão dele indicava que o caso anterior seria talvez um caso perdido...um no meio de tantos outros.
Graças a Deus, comigo as coisas mantêm-se estáveis e agora só voltarei daqui a um ano. Ele explicou-me tudo direitinho e saí mais animada, porém sem aquela alegria exfusiante, pois apercebi-me que nem todas se salvam, nem todas têm a mesma sorte.
Se quem me lê é mulher e tem mais de 35 anos, não pense duas vezes, não se encha de medo, não fique à espera que o pior lhe bata à porta e tarde de mais para se salvar. Faça rastreios, vá ao médico, faça mamografias de vigilância. Se é homem, esteja atento e incentive as mulheres que conheça nesta situação a estarem alerta, pois como já o disse neste blogue várias vezes, o cancro é infelizmente silencioso e não pode ser negligenciado...
Um bem-haja a todos!

2 comentários:

Anónimo disse...

por minha infelicidade tenho tb fibroadenoma no meu peito e com apenas 32 anos de idade ,mas como havera sido referido ,á kem diga k seja hereditario e ,eu acredito ,k sim ,pois minha mae faleu aos 50 anos e minha avó materna aos 40 anos ,tias ja retiraram tb nódulos !ámnha vai ser a minha 1ª cnsulta ,estou mt anciosa e com medo tb!!mas deus erá grande espero eu!!!força para ti ana e que tenhas sempre essa força!!

Anónimo disse...

Tenho medo... em setmbro foram-me diagnostigados nove quistos numa mama e nada na outra diseram-me vigilancia... ( tenho de dizer que moro no interior do país, os medicos são bons mas por vezes não são rapidosou interessados???), enfim, seis meses depois os nove quistos estão enormes doi-me a mama não consigo fazer esforços( Fazer a cama, abrir a porta do carro dar colinho ao meu filhote, tenho mais um quisto onde não tinah nada .. tudo coisas dos dez centimetros para cima.. fui hoje pedirá medica de familia que me dirija para o Hospital de Evora para uma consulta de senologia( Tive de pedir)la vou agora marcar não sei se é rapido senão... vamos ver, tenho medo ...