quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Fragata D. Fernando II e Glória

A fragata D. Fernando II e Glória foiconstruída em Damão, na antiga Índia Portuguesa e foi lançada à água em 22 de Outubro de 1843.
O navio estava preparado para receber 60 bocas de fogo e a sua guarnição variava entre 145 e 379 homens. Em algumas viagens chegou a transportar mais de 600 pessoas.
Durante 33 anos fez a ligação entre Portugal e os territórios portugueses da Índia, cumpriu missões ao longo da Costa de Moçambique e teve um papel importante como navio-chefe de uma força naval que recuperou o Ambriz, em Angola.
Em 1889, a fragata sofreu profundas alterações, passando a servir como Escola de Artilharia Naval. A partir de 1945, o navio passou a ser também a sede da Obra Social da Fragata D.Fernando, cujo objectivo era receber os jovens rapazes com dificuldades económicas, que ali recebiam instrução escolar e treino de marinharia.
Em 1963, a fragata sofreu um violento incêndio, que destruíu grande parte da mesma, tendo permanecido encalhada no rio Tejo, no mar da Palha, durante longos anos. Em 1992, o barco foi removido e posteriormente transportado para o estaleiro Ria Marine, em Aveiro.
Restaurada, a Fragata D.Fernando II e Glória foi tornada num navio museu, tendo sido possível visitá-la durante a Expo 98.
Actualmente podemos encontrá-la em Cacilhas, no concelho de Almada, permitindo-nos uma reconstituição histórica do que era a vida a bordo de uma fragata do séc. XIX, exclusivamente à vela.

A última nau portuguesa da carreira da Índia









1 comentário:

Anónimo disse...

AFragata que eu conheci estava viva...