segunda-feira, 9 de março de 2009

Sugestões de fim-de-semana

Este foi sem dúvida um excelente fim de semana. Depois de na semana passada ter ficado com uma gastroentrite, este fim de semana foi mesmo para aproveitar e em grande. No sábado fui fazer mais uma daquelas magníficas sessões do Modo de Aparição das Artes no CCB. Desta vez a sessão foi com a Margarida Fonseca Santos, escritora sobretudo de literatura infantil e juvenil e a experiência foi mesmo interessante.
O desafio da sessão era ouvir histórias de olhos fechados. Mas também realizar mapas de ideias para escrever histórias, além de contar também as histórias a uma assembleia de olhos fechados. O meu grupo acabou por fazer a história da Estrela Bicentenária e da Toupeira. Escrita a quatro mãos, essa história ficou mesmo engraçada. Um dia destes se tiver tempo, ainda me ponho a aperfeiçoá-la e quem sabe o que poderá sair de lá!!!


No domingo, aproveitei para fazer uma visita guiada à exposição sobre a Rainha D. Amélia no exílio, na Casa Museu Anastácio Gonçalves, em Lisboa. Esta exposição estará patente ao público até ao fim de Abril. Foi com espanto e satisfação que vi o pequeno museu com tanta gente àquela hora da manhã.
Esta colecção pertence a Rémi Fénérol. O espólio não reclamado por nenhum dos familiares mais próximos de D. Amélia, após a sua morte, em 1951, em grande parte porque não contemplado em testamento, assim como os muitos objectos que a Rainha generosamente ofereceu aos seus empregados durante anos, foi guardado nos sótãos dos Girard-Souza-Moreau, dos Jouve e de outros para quem as peças provenientes da Rainha eram relíquias a guardar. O actual Coleccionador, Rémi Fénérol, começou por reunir tudo aquilo que dissesse respeito a D. Amélia, que para além de ser bisneta do Rei Luís Filipe de Orléans era Rainha. Começava assim a actual Colecção. Ao longo dos anos foram sendo acrescentadas peças provenientes de espólios de outros antigos servidores, comprados directamente a estes ou aos seus familiares, bem como objectos oriundos de leilões de familiares da rainha que haviam recebido peças em herança. Os objectos que agora se apresentam são uma pequena selecção de uma colecção maior que reúne os mais variados tipos de obras: vestuário, pequenos objectos de colecção, pintura, fotografia, livros, documentos e parte dos diários da Rainha.

A visita foi conduzida maravilhosamente por José Alberto Ribeiro, o director do museu. Durante uma hora e meia tivemos a oportunidade de conhecer melhor a figura emblemática e sofrida da Rainha D. Amélia, uma mulher que me fascinou pela sua força de vontade e determinação, pela sua acção junto dos desprotegidos e dos que mais precisavam, não se deixando abalar pela vida trágica e dramática que teve. Uma exposição verdadeiramente imperdível. A próxima visita guiada realiza-se dia 26 de Abril.

INFORMAÇÕES:
Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves Av. 5 de Outubro, Nº6 - 81050-055 Lisboa
Tel.: 213 540 823/923
SITE:http://www.cmag-ipmuseus.pt/


À tarde aproveitei para pôr o cinema em dia, e fui ver o filme vencedor dos Óscares, o Slumdog Millionaire, ou em português, o Quem quer ser Milionário? Trata-se de um filme muito interessante, sobre a vida de dois irmãos, numa Índia que não tem nada a ver com a que vemos em postais ilustrados, ou com o exotismo das belas viagens que vemos na televisão. Uma Índia sofrida e cheia de marcas na vida daqueles dois irmãos, abandonados à sorte e ao destino. Aliás, o destino é mesmo o mote central da intriga. Gostei bastante, apesar da dureza e realidade das imagens e dos sentimentos que nos suscita.


Estas são algumas das sugestões que vos aconselho para um destes fins-de-semanas.

Sem comentários: