sábado, 19 de julho de 2008

Tunes,Sidi Bou Said, Cartago


No dia antes de partir para Portugal, fizemos uma excursão que incluiu Tunes (capital da Tunísia), Sidi Bou Said e Cartago.
O primeiro lugar que visitamos em Tunes, foi a sua labiríntica medina, caracterizada pelas suas estreitas vielas. Esta, ao contrário das outras que visitara, tinha muitas ruas que pareciam túneis, dado que muitas delas eram cobertas. Aí andamos sempre em grupo, (desta vez havia portugueses no grupo)pelas ruas e pelas lojas a que o guia nos levou, as quais eram obviamente caras, até porque ele recebia comissão. O mais interessante nesse percurso foi a visita a um perfumista, onde foi feita uma apresentação dos perfumes para venda, por um homem que era uma verdadeira personagem de filme.


Em seguida visitamos o Museu do Bardo alojado num antigo palácio dos beis Husseinitas (governadores da província) Este museu é uma autêntica maravilha, exibindo verdadeiros tesouros arqueológicos de toda a Tunísia, sobretudo uma importante colecção de mosaicos romanos, do séc. II. a.C. ao séc. VII.e está dividido em quatro grandes áreas: cartaginesa, romana, princípios da era cristã e islâmica.
Os mosaicos mais conhecidos são o do poeta Virgílio a escrever a Eneida, acompanhado pelas suas Musas e o mosaico, de grandes dimensões.
Depois de uma visita guiada, onde pudemos conhecer um pouco melhor da história destes objectos, rumamos até Cartago onde almoçamos.
Pouco depois, chegamos a uma das povoações mais bonitas da Tunísia: Sisi Bou Said. Situada numa colina, vale bem a pena subi-la para apreciar os seus belos recantos, de casas brancas com janelas azuis, de majestosas portas de madeira com aldrabas. Tive muita pena que ali o tempo tivesse voado e que não tivesse dado para explorar melhor a sua vista para o mar, mas nestas condições o tempo é sempre tão curto! Aproveitámos para fotografar bastante, tomar um bom chá no mundialmente famoso Café des Nattes, situado no topo da rua principal. Aí é imperioso tirar os sapatos e sentarmo-nos em esteiras, e sentirmo-nos simples e confortáveis...
O último local da viagem foram as Termas Antoninas, em Cartago. Estas termas começaram a ser construídas no reinado de Adriano (76-138) e foram as maiores termas do mundo fora de Roma. Estas possuíam um sistema de fornalhas subterrâneas que proporcionava o aquecimento, várias salas de vapor com diferentes temperaturas, uma piscina de água fria e um banho de hidromassagem.

Das ruínas das termas tem-se uma incrível vista para o mar. Ali ao lado, situa-se também o palácio do Presidente da República, Ben Ali, não sendo permitido fotografar em determinadas perspectivas que o captem, por ser proíbido tirar retratos a edifícios estatais.
Dali rumamos ao hotel. Restar-nos-ia apenas mais umas horas em solo tunisino, pelo que era tempo de começar a arrumar as coisas e fazer as últimas compras. Ao fim do dia, descobri bem perto do hotel uma loja de souvernirs com algumas coisas que tinha comprado nos souks por um bom preço (pensava eu) em saldo!!!! Percebi com isto que nem sempre sabemos avaliar bem o preço dos objectos que compramos e por isso é normal que sejamos «enganados», mas isso faz parte do processo, paciência!
O regresso a Portugal ocorreu com uma demora secante de três horas, mas de resto correu tudo bem! A Tunísia ficava para trás, mas não na nossa memória!

Sem comentários: