quinta-feira, 11 de outubro de 2007

5 de Outubro em Mértola

No passado dia 5 de Outubro aproveitei o feriado para, juntamente com os meus colegas de trabalho, irmos até Mértola, no Baixo Alentejo.
Chegámos perto da hora do almoço, aproveitámos para ver as vistas, ver o rio que passava caudaloso e barrento, antes de nos dirigirmos ao restaurante «Migas», onde nos aguardava um apetitoso pitéu, já que a comissão organizadora, uma colega minha que pôs mãos à obra para a realização deste passeio tinha já feito a reserva e escolhido os pratos. Havia comer para todos os gostos, desde o mais alentejano, como açorda de bacalhau, às migas com entrecosto, até ao lombo de porco com batata frita e arroz, que estava absolutamente delicioso.
Após o almoço dirigimo-nos em seguida para o Posto de Turismo onde nos aguardava a guia que nos iria acompanhar toda a tarde pelos vários núcleos do Museu de Mértola.
Foi um passeio longo, de várias horas, onde tivemos oportunidade de percorrer a Oficina de Tecelagem (com alguns objectos antigos ligados à fiação e produtos de venda, como mantas, tapetes, chás, ervas de cheiro, entre outros); a Mesquita; o Castelo; a Oficina do Ferreiro; o Museu de Arte Sacra; o Museu de Arte Islâmica; a Câmara Municipal de Mértola onde está instalado o núcleo romano e por fim a Basílica Paleo-Cristã.
Apesar de ser Outono, o calor era forte no Alentejo, o ar estava seco e sufocante, o que nos fazia destilar. As ruas desertas e silenciosas denunciavam o recolhimento das suas gentes, dando-nos a sensação de sermos os únicos forasteiros na localidade. Percorremos ruas íngremes, subidas e descidas, escalamos as escadas da torre do castelo, perdemo-nos entre tanto património… No meio do percurso ainda tivemos oportunidade de admirar as portas de Mértola, antiga entrada de produtos comerciais transaccionados na rota fluvial do Guadiana.
Foi um dia muito bem passado e aproveitado. Mértola ainda tem muito que se veja!





Construída em finais do século XVI, princípio do século seguinte, num dos torreões da muralha a Torre do Relógio de Mértola começou, provavelmente, a funcionar em 1593, data inscrita no sino. A escadaria que leva ao cais é dos anos vinte do século passado, tendo a sua construção sido custeada pela empresa Mason & Barry que explorava os filões de S. Domingos.


Antiga Mesquita/Igreja Matriz de Mértola
A mesquita data do Séc. XII tendo a sua construção incorporado elementos de construções anteriores, nomeadamente de época romana. Com a reconquista foi consagrada ao culto cristão mantendo a estrutura do antigo templo muçulmano. Só no Séc. XVI, devido ao avançado estado de degradação que o templo apresentava, foi levado a cabo um programa de obras que introduziu algumas transformações: a cobertura que é substituída por um sistema de abóbadas nervuradas e o entaipamento de algumas portas; no exterior, o estilo mudéjar alentejano, reflecte-se nos merlões e pináculos cónicos que adornam o templo.

Assente em estruturas muito antigas o Castelo de Mértola foi edificado já em época cristã, tendo ao longo da História sido alvo de muitas transformações e obras de recuperação. A Torre de Menagem construída em 1292 por ordem de Dom João Fernandes, Mestre da Ordem de Santiago, alberga um núcleo museológico e é um local privilegiado para observação da vila e do território envolvente.Está classificado como monumento nacional desde 1943.

Fotos AM e CM
Para mais informações: www.cm-mertola.pt/

2 comentários:

Anónimo disse...

Olá Amiga,

Fiquei com vontade de visitar Mértola.

Ainda bem que gostaste e aproveitaste bem o passeio.

Um excelente fim de semana!!!

beijos Sandra

oasis dossonhos disse...

bom dia Ana
desde Jerba um grande beijo de amizade e carinho
luis