quinta-feira, 23 de agosto de 2007



Dia 9
15 de Agosto de 2007


Após o pequeno-almoço dirigimo-nos para o centro de Estrasburgo. As lojas estavam ainda a abrir quando chegámos, se bem que, por ser feriado, nem todas abririam.
Fizemos um passeio de barco pelo rio III, afluente do Reno, que se divide para formar até cinco braços no centro da cidade (na Petite France). Deu para conhecer os locais da cidade mais interessantes, como a Petite France (verdadeira maravilha arquitectónica), com casinhas floridas e muito típicas da Alsácia e os edifícios assombrosos do Parlamento Europeu.
No passeio de barco calhámos com um grupo de alemães e confesso que não foi muito agradável. O passeio era guiado e traduzido em várias línguas através de um sistema de auscultadores. Acontece que me distraí e falei com os meus companheiros e ri-me inocentemente, sem perceber que estava a causar ruído. De repente, só vim um enorme alemão de meia-idade (que já me tinha empurrado antes) virar-se para trás furioso e ter gritado comigo severamente, palavras que ainda bem não percebi. Eu olhei para ele e calei-me subitamente, não valia a pena chatear-me. Passaram todo o tempo a mandar calar os portugueses, como se a disciplina naquele contexto valesse mais do que a boa disposição.
Após o passeio ainda deu para ir a pé, pelas margens do rio, até à Petite France, onde comprámos souvenirs, postais e tirámos fotografias.
Voltámos para o autocarro depois de almoçar. Esperávamo-nos uma longa viagem com cerca de 746 Kms (quase Portugal de lés-a lés) até Nimes.
Ao fim de algum tempo com este tipo de rotina, de pôr mala, tirar mala, ir para o hotel, partir, conhecer os locais e repetir tudo novamente sentimo-nos quase viajantes profissionais. Parecemos quase aqueles apresentadores de programas de viagens que não param em parte alguma, tipo Michael Palin. Só nos faltou mesmo a televisão atrás… Ao fim de quase duas semanas fora de casa, neste ritmo, parecia que já tinha passado mais de um mês, de tal forma os nossos dias eram intensos. O autocarro era quase como se fosse a nossa casa e nós seguíssemos com a casa às costas em constante digressão. As pessoas que nos rodeavam eram quase uma segunda família.
O bom ambiente do «gang da cave» contribuiu muito para que aquelas horas intermináveis de viagem se tornassem mais leves e permitiu anestesiar a tristeza que ainda sentia.
Chegámos a Nimes ao fim do dia, por volta das 10h da noite. Nem conhecemos o centro, fomos directos para o hotel, completamente exaustos…No outro dia, o despertar era novamente bem cedo!

*Fotos de CM

5 comentários:

Anónimo disse...

Olá Ana
Estivemos a ler os teus comentários sobre a viagem. Estão soberbos! Agora percebo porque é que ias sempre a escrever...
Se quiseres fotos d o render guarda em praga podemos enviar no próximo e-mail. Beijocas e parabéns
Isabel e João

Tucha disse...

Ora bem os dias de viagem estão a terminar mas estou ansiosa pelo desenlace final........Barcelona desperta-me curiosidade....Quero saber o q diz a guia do "gang da cave" sobre o culminar desta viagem de 11 dias q tal como dizes pareceram meses........

bjs Tucha ;)

Anónimo disse...

estas manas de facto são muito prendadas... 1 a escrever e a outra a tirar fotos. alias o "gang da cave" era simplesmente avassalador... lololol
Ass: 1 guia qualquer.
bjs

Ana M disse...

Estou a gostar muito desta minha leitura de viagens. Mas como é tão intensa já estou a ficar cansada só de pensar, nas horas de autocarro, do tirar e colocar malas, dos diversos hóteis...enfim já estou extenuada e ansiosa por conhecer o final.
Ana Faria

Anónimo disse...

Olá Amiga,

Todos os dias leio as tuas aventuras... estou deliciada. Vou ficar à espera de mais...

Bom fim de semana :-)

beijos
Sandra