terça-feira, 3 de julho de 2007

Mês de Julho...

O mês de Julho começou há poucos dias e ainda não há sinal de bom tempo...Precisamos de dias bonitos, não demasiado quentes, mas que nos dêem estimulo e nos alegrem os corações durante uns tempos. O Verão é sempre tão curto... estação sempre tão desejada e ansiada, altura em que podemos vestir roupa mais leve, ficar na rua até mais tarde e ter a impressão que o dia é gigante e podemos fazer múltiplas coisas, pois ele nunca se esgota e a energia também.
Agora esperamos que o sol se inspire e nos traga a praia, o biquini, e as banhocas na praia, que satisfazem sempre o pessoal.

Mas, enquanto o calor não chega, há sempre tempo para fazer imensas actividades e partir em busca do desconhecido. Há exposições a inaugurar, como é o caso da exposição Pinturas Cantadas - Arte e Performance: Arte e Performance das mulheres de Naya, a inaugurar no dia 5 de Julho, no Museu Nacional de Etnologia, no Restelo. Com cerca de dois metros de altura, cada pintura conta uma história, numa narrativa visual de cores fortes e cujo formato se aproxima da banda desenhada, abordando temas clássicos sobre divindades. No entanto, também se reportam à actualidade, evocando a questão do terrorismo e os atentados de 11 de Setembro de 2001, o tsunami que assolou o sudeste asiático em 2004 ou ainda o flagelo do vírus da SIDA.
As autoras destas «pinturas cantadas» pertencem a uma comunidade na Índia que integra mulheres que passaram por situações de violência ou pobreza e que utilizam esta forma de arte para ultrapassar esses casos sociais e conseguir uma vida melhor.
As pinturas indianas podem ainda ser vistas como canções ilustradas, sendo acompanhadas por interpretações - audíveis através de gravações - de cada uma das autoras.


Mas se a ideia for ir ao cinema, podemos sempre aproveitar para dar ir até ao Nimas, onde estão a passar alguns dos grandes filmes deste ano. Ficam algumas sugestões...
OS AMANTES REGULARES*, Philippe Garrel, Domingo, 1 Julho
98 OCTANAS, Fernando Lopes Segunda, 02 Julho
PARAÍSO AGORA, Hany Abu-AssadTerça, 03 Julho
UMA FAMÍLIA À BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS, Jonathan Dayton e Valerie Faris Quarta e Quinta, 04 e 05 Julho
ROMANCE & CIGARROS, John Turturro Sexta, 06 Julho
VOO 93, Paul Greengrass, Sábado, 07 Julho
FAÇA FAVOR, Pierre Salvadori, Domingo, 08 Julho
ALGUNS DIAS EM SETEMBRO, Santiago AmigorenaSegunda, 09 Julho
MARIE ANTOINETTE, Sofia CoppolaTerça, 10 Julho
VOLVER - VOLTAR, Pedro AlmodóvarQuarta e Quinta, 11 e 12 Julho
TRANSE, Teresa VillaverdeSexta, 13 Julho
A DÁLIA NEGRA, Brian De Palma, Sábado, 14 Julho
OS FILHOS DO HOMEM, Alfonso CuarónDomingo, 15 Julho


E para quem aprecia a boa música portuguesa de qualidade, sexta feira dia 6 de Julho há Rodrigo Leão na Torre de Belém, às 22h. com entrada gratuita. A música dele é simplesmente espectacular, por vezes um pouco triste e melancólica, mas consegue sem dúvida transportar-nos para locais muito diferentes, com cheiros, personagens e paisagens singulares. Temas como o amor perdido, a festa, o cinema, a casa, o divino e celestial, a paternidade e o mistério, são explorados com autenticidade por este músico português. Ouvi-lo permite toda esta simultaneidade de sentimentos, despertando em nós emoções ora delirantes, ao som de um bom tango, ora mais introspectivas e taciturnas, musicando poemas de Cesariny e outros poetas. Quem gostar não deve mesmo perder.

E porque os dias não se esgotam há sempre tempo para fazer algo mais... Lisboa é sempre bela e maravilhosa e dicas para nos distrairmos não faltarão...

Sem comentários: