terça-feira, 17 de julho de 2007

Não! A única coisa a fazer é dançar um tango argentino!


A proposta que hoje aqui deixo é tanto literária, como musical. Foi um pequeno texto que escrevi durante uma aula de escrita criativa. O tema é o tango, a sensualidade, o romance, o ambiente dos bares de porto, o espírito de Buenos Aires. O desafio era acabar o texto que escrevêssemos com esta frase: «Não! A única coisa a fazer é dançar um tango argentino!» E assim sucedeu...
Espero que este texto os inspire, ponham a vitrola a tocar, o acordeão do Piazolla a estremecer as paredes lá de casa, uma rosa no cabelo, no caso das mulheres, e arrisquem-se... seduzam e sejam embalados nesta dança de ritual de corte! Carpe Diem...

«Afagas-me os cabelos, contas-me histórias ao ouvido de outros portos e lugares. As tuas palavras ecoam doces e sedutoras, sabem a mar, a paixão e a mentira, tornando-te perigosamente tentador. Passas a mão pelos teus cabelos negros, cobertos de brilhantina, acendes um cigarro e retorces o bigode com mestria. Fazes-me um olhar matreiro, o mesmo que já repetiste tantas outras vezes para mulheres como eu e fazes-me hesitar. Convidas-me para dançar, naquele bar escuro, cheirando a rum e a whisky… O meu coração pula, o ritmo da respiração aumenta.
Sinto o toque quente dos teus dedos robustos a deslizar aos poucos sobre a minha cintura, passeando sobre os folhos do meu vestido preto. Todo o meu corpo é vacilante, como se pedisse mais calor. Mordo os lábios pintados de rubi, contendo o delírio que se apodera de mim.
Sigo contigo os passos deste tango lânguido e sussurrante, contorço-me sobre o teu corpo e deixo-me embalar. Tu conduzes-me mais uma vez e eu deslizo sobre o tabuado de madeira gasto, deixando no chão a marca dos tacões dos meus sapatos pretos.
O som da velha concertina desconcentra-me, já só vejo os teus olhos verdes, a pedir amor e pecado. Mas eu resisto. Tento esquecer todos os marinheiros que tive nos meus braços antes de ti e do quanto me fizeram sofrer. Desta vez, prometo que será diferente... Fecho os olhos e finjo que já não te vejo, que já não te ouço, afasto-te da memória e dos sentidos. Só ouço a música, que me invade e domina. Digo a mim mesma para parar de pensar... Não! A única coisa a fazer é dançar um tango argentino!»

2 comentários:

Anónimo disse...

Olá,

estou maravilhada...sem palavras...

e vamos dancar um tango argentino !!!!

bjs
Sandra

Anónimo disse...

Adorei o tango, o traste e ela que mais uma vez se vai deixar seduzir, mas acreditando como sempre que desta vez será diferente.
Eu...vou pelo seguro e para não cair em tentação... fico-me pelas sevilhanas.
bjs,
gm